Notícias Terra Santa

Mais de 4300 cristãos foram mortos em 2018 devido às suas crenças

Até Outubro de 2018, pelo menos 4305 cristãos foram assassinados em todo o mundo devido às suas crenças, mais 40% que no mesmo período de 2017 (aqui).

SÍRIA - Assad promete reconstruir a igreja memorial do genocídio arménio em Deir ez-Zor

Damasco, 11 Jan 2019 – O presidente sírio Bashar al Assad comprometeu-se a reconstruir com fundos estatais o santuário dos mártires arménios situada na cidade síria de Deir ez-Zor, devastada em Setembro de 2014 pelos jihadistas del Estado Islámico (Daesh).

A intenção de refazer o santuário dedicado às vítimas do genocídio arménio, (asseguram fontes dos media arménias), foi declarada pelo presidente sírio durante uma reunião com uma delegação de empresários arménios, encabeçada pelo Presidente do Comité Representativo dos Sírios na Arménia, George Parseghian, aquando da sua visita à Síria.

Em setembro de 2014, os jihadistas ocuparam cerca de metade da área urbana de Deir ez-Zor, - uma cidade do Leste da Síria, de maioria kurda -, tendo dias depois destruído a igreja onde repousavam os restos mortais das vítimas do genocídio arménio. Em 1991 a igreja foi consagrada à memória das vítimas do genocídio arménio, pelos massacres que vitimaram o povo arménio em território otomano entre 1915 e 1916, especialmente nesta região do deserto em volta de Deir ez-Zor.

Os jihadistas assassinaram em 2014 centenas de habitantes da cidade, tendo enfrentado também outras facções islâmicas - como a Frente al-Nusra - para ficar com o controlo desta zona petrolífera. A cidade foi reconquistada pelo exército governamental sírio em novembro de 2017, mas os grupos jihadistas continuam a fazer incursões nas zonas próximas.

As relações entre a Síria e a Arménia intensificaram-se após a nomeação do novo embaixador sírio em Ereván, começando este a estreitar laços com a comunidade de imigrantes sírios arménios, principalmente durante os recentes anos de conflito sírio. A delegação de empresários arménios expressou também a sua vontade em participar na reconstrução das infraestruturas sírias, devastadas pela guerra. “A Arménia é um dos países que não fechou a sua embaixada durante a guerra, tendo sempre mantido os seus vínculos diplomáticos, para além do envio de ajuda à Síria”, declarou Parseghian.

 

Fonte: Armen Press

ISRAEL - Chefes das igrejas de Jerusalém denunciam a exposição de “arte” blasfema em Haifa

Jerusalém, 14 Jan 2019 - Os Patriarcas e os chefes de igrejas e comunidades cristãs
assinaram e publicaram uma declaração conjunta para denunciar as imagens infames e provocativas exibidas numa exposição no Museu de Arte de Haifa, sob o patrocínio das autoridades israelitas. O trabalho que causou mais controvérsia e indignação entre a população cristã (que na semana passada realizou protestos que resultaram em confrontos com a polícia), representa o palhaço da cadeia de fast food McDonald's, crucificado numa cruz de madeira como Jesus. A escultura realizada por um artista finlandês Janei Leinonen, faz parte da exposição "Sacred Goods".

Nesta declaração, os Patriarcas e os Chefes cristãos de Jerusalém admitem que a exposição visava criticar o consumismo dentro da sociedade israelita, mas denunciam que neste contexto imagens ofensivas foram usadas "das figuras e símbolos mais sagrados da fé cristã".
Definem esta provocação artística como "intolerável" e pedem que as obras expostas que são ofensivas à fé cristã sejam imediatamente retiradas. "O respeito por símbolos e figuras religiosas, sejam judeus, cristãos ou muçulmanos", diz a declaração, "deve ser preservado independentemente de tudo". Patriarcas e líderes cristãos também têm em conta o facto de que "Israel protege o direito à liberdade de expressão". O carácter da Terra Santa e a santidade das três religiões de Abraão devem sempre ser respeitadas e veneradas. Esse comportamento ofensivo não ajuda as três religiões na sua missão de promover a tolerância, a coexistência e a paz entre os povos da Terra Santa e de mais além ".

 

Na sua declaração, os Patriarcas e Chefes das Igrejas de Jerusalém apelaram "ao Município de Haifa e à administração do Museu de Arte de Haifa para que retirem, sem demora, todas as imagens ofensivas à nossa fé e às nossas tradições cristãs. Além disso, esperamos um pedido formal de desculpas do município ou dos responsáveis por essa exposição ", concluem.

GV - Agência Fides                                                                                                                                                                                                                                                                                  Foto: LPJ

Delegação de Bispos chega a Haifa para a visita anual da Coordenação para a Terra Santa

Terra Santa - Chegou à Terra Santa a delegação de Bispos da Coordenação da Terra Santa para a sua visita anual de apoio aos cristãos, a realizar entre os dias 12 e 17 de janeiro. Este ano, focados no tema: “Cristãos na Terra Santa”. : Desafios e oportunidades."

A Coordenação da Terra Santa é composta por Bispos de toda a Europa, América do Norte e África do Sul que regularmente, nos últimos 20 anos, têm vindo a fazer visitas pastorais anuais, a Israel e à Palestina. A reunião da Coordenação realizar-se-á este ano de 12 a 17 de janeiro.

 

No passado domingo, a delegação composta pelos seus 19 membros visitou os paroquianos da Igreja da Visitação em Zababdeh, onde Dom Boulos Marcuzzo, vigário patriarcal latino para Jerusalém e Palestina, presidiu à Santa Missa, tendo concelebrado o pároco pe. Ibrahim Nino.

 

A delegação celebrou também missa na gruta de São Jerónimo, na Igreja da Natividade em Belém, como parte da sua participação na visita do grupo de Coordenação da Terra Santa deste ano.

 

Dom Declan Lang, Presidente da Coordenação da Terra Santa afirmou: “Viemos para nos solidarizar com as comunidades cristãs na Terra Santa, que são uma parte importante da nossa família, sendo uma contribuição valiosa para a sociedade, tanto em Israel como na Palestina, como veremos em visitas a escolas cristãs, hospitais e no diálogo com políticos locais”.

 

Embora a Coordenação da Terra Santa não seja uma entidade que angarie fundos ou projectos, o investimento considerável no desenvolvimento, e o crescimento das peregrinações, desenvolveram-se directamente como consequência das visitas dos Bispos. A oração é a estrutura do encontro anual, com celebrações diárias da Santa Missa, frequentemente em diferentes ritos.

 

Aos Bispos da Coordenação é-lhes pedido frequentemente que venham mais peregrinos dos seus países de origem, e tem havido um esforço concertado e bem-sucedido nesse sentido, por parte das conferências episcopais, encorajando peregrinações, auxiliando assim muitos, cuja subsistência depende dos peregrinos.

 

Os Bispos falam a um nível mais alto com seus próprios governos, deputados, embaixadores israelitas e palestinos e aos media, sobre uma ampla variedade de questões que afectam a vida dos cristãos. Em consonância com a abordagem adoptada pela Santa Sé em qualquer outro lugar, os Bispos não buscam privilégios para os cristãos, mas sim dignidade e justiça para estes e para outros, em conflitos semelhantes. Os Bispos estão presentes todos os anos e, através da sua presença, esperam acima de tudo recordar às “pedras vivas” das comunidades cristãs da Terra Santa que não são esquecidos pelos seus irmãos e irmãs noutras partes do mundo.

 

Bispos da Coordenação da Terra Santa:
Dom Declan Lang, Bispo de Clifton, Inglaterra e Gales
Dom William Kenney, Bispo Auxiliar de Birmingham, Inglaterra e Gales
Dom Stephen Ackermann, Bispo de Trier, Alemanha
Dom Stephen Brislin, Arcebispo da Cidade do Cabo, África do Sul
Dom Timothy Broglio, Arcebispo castrense dos EUA

 

Dom Peter Burcher, Bispo Emérito de Reykjavik, Islândia
Dom Rodolfo Cetoloni, Bispo de Grosseto, Itália
Dom Christopher Chessun, Bispo de Southwark, da Igreja de Inglaterra e co-Presidente da Pax Christi Internacional,
Dom Kevin Dowling, co-President Pax Christi Internacional, África do Sul
Dom Michel Dubost, Bispo Emérito de Evry-Corbeil-Essonnes, França
Dom Lionel Gendron, Bispo de St. Jean Longueuil, Quebeque, Canada
Dom Felix Gmur, Bispo de Basileia, Suíça
Dom Alan McGuckian, Bispo de Raphoe, Irlanda
Dom William Nolan, Bispo de Galloway, Escócia
Dom José Ornelas Carvalho, Bispo de Setúbal, Portugal
Dom Noel Treanor, Bispo de Down and Connor, Irlanda
Dom Joan Enric Vives Sicília, Arcebispo de Urgell, Espanha e Andorra


Notícias Terra Santa

Mais de 4300 cristãos foram mortos em 2018 devido às suas crenças

Até Outubro de 2018, pelo menos 4305 cristãos foram assassinados em todo o mundo devido às suas crenças, mais 40% que no mesmo período de 2017 (aqui).

SÍRIA - Assad promete reconstruir a igreja memorial do genocídio arménio em Deir ez-Zor

Damasco, 11 Jan 2019 – O presidente sírio Bashar al Assad comprometeu-se a reconstruir com fundos estatais o santuário dos mártires arménios situada na cidade síria de Deir ez-Zor, devastada em Setembro de 2014 pelos jihadistas del Estado Islámico (Daesh).

A intenção de refazer o santuário dedicado às vítimas do genocídio arménio, (asseguram fontes dos media arménias), foi declarada pelo presidente sírio durante uma reunião com uma delegação de empresários arménios, encabeçada pelo Presidente do Comité Representativo dos Sírios na Arménia, George Parseghian, aquando da sua visita à Síria.

Em setembro de 2014, os jihadistas ocuparam cerca de metade da área urbana de Deir ez-Zor, - uma cidade do Leste da Síria, de maioria kurda -, tendo dias depois destruído a igreja onde repousavam os restos mortais das vítimas do genocídio arménio. Em 1991 a igreja foi consagrada à memória das vítimas do genocídio arménio, pelos massacres que vitimaram o povo arménio em território otomano entre 1915 e 1916, especialmente nesta região do deserto em volta de Deir ez-Zor.

Os jihadistas assassinaram em 2014 centenas de habitantes da cidade, tendo enfrentado também outras facções islâmicas - como a Frente al-Nusra - para ficar com o controlo desta zona petrolífera. A cidade foi reconquistada pelo exército governamental sírio em novembro de 2017, mas os grupos jihadistas continuam a fazer incursões nas zonas próximas.

As relações entre a Síria e a Arménia intensificaram-se após a nomeação do novo embaixador sírio em Ereván, começando este a estreitar laços com a comunidade de imigrantes sírios arménios, principalmente durante os recentes anos de conflito sírio. A delegação de empresários arménios expressou também a sua vontade em participar na reconstrução das infraestruturas sírias, devastadas pela guerra. “A Arménia é um dos países que não fechou a sua embaixada durante a guerra, tendo sempre mantido os seus vínculos diplomáticos, para além do envio de ajuda à Síria”, declarou Parseghian.

 

Fonte: Armen Press

ISRAEL - Chefes das igrejas de Jerusalém denunciam a exposição de “arte” blasfema em Haifa

Jerusalém, 14 Jan 2019 - Os Patriarcas e os chefes de igrejas e comunidades cristãs
assinaram e publicaram uma declaração conjunta para denunciar as imagens infames e provocativas exibidas numa exposição no Museu de Arte de Haifa, sob o patrocínio das autoridades israelitas. O trabalho que causou mais controvérsia e indignação entre a população cristã (que na semana passada realizou protestos que resultaram em confrontos com a polícia), representa o palhaço da cadeia de fast food McDonald's, crucificado numa cruz de madeira como Jesus. A escultura realizada por um artista finlandês Janei Leinonen, faz parte da exposição "Sacred Goods".

Nesta declaração, os Patriarcas e os Chefes cristãos de Jerusalém admitem que a exposição visava criticar o consumismo dentro da sociedade israelita, mas denunciam que neste contexto imagens ofensivas foram usadas "das figuras e símbolos mais sagrados da fé cristã".
Definem esta provocação artística como "intolerável" e pedem que as obras expostas que são ofensivas à fé cristã sejam imediatamente retiradas. "O respeito por símbolos e figuras religiosas, sejam judeus, cristãos ou muçulmanos", diz a declaração, "deve ser preservado independentemente de tudo". Patriarcas e líderes cristãos também têm em conta o facto de que "Israel protege o direito à liberdade de expressão". O carácter da Terra Santa e a santidade das três religiões de Abraão devem sempre ser respeitadas e veneradas. Esse comportamento ofensivo não ajuda as três religiões na sua missão de promover a tolerância, a coexistência e a paz entre os povos da Terra Santa e de mais além ".

 

Na sua declaração, os Patriarcas e Chefes das Igrejas de Jerusalém apelaram "ao Município de Haifa e à administração do Museu de Arte de Haifa para que retirem, sem demora, todas as imagens ofensivas à nossa fé e às nossas tradições cristãs. Além disso, esperamos um pedido formal de desculpas do município ou dos responsáveis por essa exposição ", concluem.

GV - Agência Fides                                                                                                                                                                                                                                                                                  Foto: LPJ

Delegação de Bispos chega a Haifa para a visita anual da Coordenação para a Terra Santa

Terra Santa - Chegou à Terra Santa a delegação de Bispos da Coordenação da Terra Santa para a sua visita anual de apoio aos cristãos, a realizar entre os dias 12 e 17 de janeiro. Este ano, focados no tema: “Cristãos na Terra Santa”. : Desafios e oportunidades."

A Coordenação da Terra Santa é composta por Bispos de toda a Europa, América do Norte e África do Sul que regularmente, nos últimos 20 anos, têm vindo a fazer visitas pastorais anuais, a Israel e à Palestina. A reunião da Coordenação realizar-se-á este ano de 12 a 17 de janeiro.

 

No passado domingo, a delegação composta pelos seus 19 membros visitou os paroquianos da Igreja da Visitação em Zababdeh, onde Dom Boulos Marcuzzo, vigário patriarcal latino para Jerusalém e Palestina, presidiu à Santa Missa, tendo concelebrado o pároco pe. Ibrahim Nino.

 

A delegação celebrou também missa na gruta de São Jerónimo, na Igreja da Natividade em Belém, como parte da sua participação na visita do grupo de Coordenação da Terra Santa deste ano.

 

Dom Declan Lang, Presidente da Coordenação da Terra Santa afirmou: “Viemos para nos solidarizar com as comunidades cristãs na Terra Santa, que são uma parte importante da nossa família, sendo uma contribuição valiosa para a sociedade, tanto em Israel como na Palestina, como veremos em visitas a escolas cristãs, hospitais e no diálogo com políticos locais”.

 

Embora a Coordenação da Terra Santa não seja uma entidade que angarie fundos ou projectos, o investimento considerável no desenvolvimento, e o crescimento das peregrinações, desenvolveram-se directamente como consequência das visitas dos Bispos. A oração é a estrutura do encontro anual, com celebrações diárias da Santa Missa, frequentemente em diferentes ritos.

 

Aos Bispos da Coordenação é-lhes pedido frequentemente que venham mais peregrinos dos seus países de origem, e tem havido um esforço concertado e bem-sucedido nesse sentido, por parte das conferências episcopais, encorajando peregrinações, auxiliando assim muitos, cuja subsistência depende dos peregrinos.

 

Os Bispos falam a um nível mais alto com seus próprios governos, deputados, embaixadores israelitas e palestinos e aos media, sobre uma ampla variedade de questões que afectam a vida dos cristãos. Em consonância com a abordagem adoptada pela Santa Sé em qualquer outro lugar, os Bispos não buscam privilégios para os cristãos, mas sim dignidade e justiça para estes e para outros, em conflitos semelhantes. Os Bispos estão presentes todos os anos e, através da sua presença, esperam acima de tudo recordar às “pedras vivas” das comunidades cristãs da Terra Santa que não são esquecidos pelos seus irmãos e irmãs noutras partes do mundo.

 

Bispos da Coordenação da Terra Santa:
Dom Declan Lang, Bispo de Clifton, Inglaterra e Gales
Dom William Kenney, Bispo Auxiliar de Birmingham, Inglaterra e Gales
Dom Stephen Ackermann, Bispo de Trier, Alemanha
Dom Stephen Brislin, Arcebispo da Cidade do Cabo, África do Sul
Dom Timothy Broglio, Arcebispo castrense dos EUA

 

Dom Peter Burcher, Bispo Emérito de Reykjavik, Islândia
Dom Rodolfo Cetoloni, Bispo de Grosseto, Itália
Dom Christopher Chessun, Bispo de Southwark, da Igreja de Inglaterra e co-Presidente da Pax Christi Internacional,
Dom Kevin Dowling, co-President Pax Christi Internacional, África do Sul
Dom Michel Dubost, Bispo Emérito de Evry-Corbeil-Essonnes, França
Dom Lionel Gendron, Bispo de St. Jean Longueuil, Quebeque, Canada
Dom Felix Gmur, Bispo de Basileia, Suíça
Dom Alan McGuckian, Bispo de Raphoe, Irlanda
Dom William Nolan, Bispo de Galloway, Escócia
Dom José Ornelas Carvalho, Bispo de Setúbal, Portugal
Dom Noel Treanor, Bispo de Down and Connor, Irlanda
Dom Joan Enric Vives Sicília, Arcebispo de Urgell, Espanha e Andorra

Actualize a informação sobre a Ordem de Cavalaria do Santo Sepulcro de Jerusalém
e sobre a Terra Santa, através do site da Lugar-Tenência de Portugal.

Tel: +351 213 426 853

Fax: +351 213 474 350

Rua do Alecrim, 72 -R/CDto. 1200-018 Lisboa

© Ordem de Cavalaria do Santo Sepulcro de Jerusalém

Desenvolvido por:

Web design por:


Actualize a informação sobre a Ordem de Cavalaria do Santo Sepulcro de Jerusalém
e sobre a Terra Santa, através do site da Lugar-Tenência de Portugal.


Tel: +351 213 426 853


E-mail: oessjp@sapo.pt


Fax: +351 213 474 350


Rua do Alecrim, 72 -R/CDto. 1200-018 Lisboa

© Ordem de Cavalaria do Santo Sepulcro de Jerusalém

Desenvolvido por:

Web design por: